07
Fev 11

Muito se tem escrito e dito sobre o problemas do abastecimento de água a Vila Viçosa. O que mais preocupa os Calipolenses é a baixa pressão nas torneiras e os sucessivos cortes de água resultante de roturas nas canalizações. Muitos têm razão dizendo que o executivo nada faz porque o que se enterra debaixo da terra (entenda-se novas canalizações) não dá votos, outros dizem que é demasiado dispendioso tentar resolver o problema e a Câmara não tem dinheiro para isso. Todos têm de alguma forma razão. No entanto porque não se equaciona minimizar os estragos feitos pondo pelo menos a população com mais pressão de águas nas toneiras das nossas casas?? Por outro lado se não temos dinheiro para colocar novas canalizações não tentamos resolver o problema das roturas que se houver uma rotura no palácio toda a Vila fica sem água. Não haverá solução para este flagelo??

Fiz algumas pesquisas e falei com alguns entendidos sobre o abastecimento de água a Vila Viçosa e foram apontadas algumas sugestões para minimizar o problema dos cortes que afectam toda a Vila quando há uma rotura.

Então estes sabedores do abastecimento explicaram-me que quando há uma rotura por exemplo no palácio não é possível deixar de cortar a água a toda a Vila. Mas quando há uma rotura na Quinta Augusta é possível fechar a água junto ao mercado possibilitando que a parte baixa da Vila continue a ter água.

Também adiantaram estes sabedores da matéria que a Vila é abastecida por dois pontos: um na Estação de Tratamento e um outro vindo de Pardais. O da Estação de tratamento abastece prioritáriamente a parte velha da Vila, o de Pardais a parte nova, ou seja toda a Quinta Augusta e as restantes urbanizações.

Também me disseram que é possível dividir a parte velha da vila em secções de modo a que uma rotura numa delas não afecte o abastecimento das outras zonas. Da mesma forma é possivel dividir a zona nova da Vila com secções que uma rotura numa delas não impeça o abastecimento nas outras partes. Cada zona destas teria uma válvula de fecho, que funcionaria como um  "T"  que fecha numa zona e a água continua para as outras zonas.

Também disseram que o custo deste tipo de obra seria bastante inferior ao arrelvamento de um campo de futebol.

Quanto à falta de pressão o assunto estaria resolvido, com a construção de mais um tanque de amarzenamento de água na Estação de Tratamento de Águas e um outro colocado entre Vila Viçosa e Pardais o mais próximo de Vila Viçosa possível.

Parece razoável esta solução?? Será possível??

Outros entendidos que o digam.


Só um reparo:

Quando diz - "Também disseram que o custo deste tipo de obra seria bastante inferior ao arrelvamento de um campo de futebol."

Também, poder-se-á dizer - O custo deste tipo de obra seria bastante inferior ao projecto e obra de transformar uma ópera numa pedreira.

De resto, concordo com tudo o que foi dito.

Um Calipolense.
Anónimo a 8 de Fevereiro de 2011 às 17:18

pelos vistos não é tão dificil resolver o problema da água em Vila Viçosa. Apenas falta vontade politica. Ou falta apenas respeito pela qualidade de vida das pessoas??
ciladas a 9 de Fevereiro de 2011 às 16:32

Fevereiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
26

27
28


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos
2014

2013

2012

2011

mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO